Anoitan

“Se sempre há um amanhã, sempre há um anoitã.”

Franco-Atirador

Posted by adi em dezembro 17, 2009

Abaixo os links para os posts do antigo blog Franco-Atirador, do Lúcio Manfredi, os arquivos estão divididos em duas partes, como segue:

http://www.4shared.com/file/oEd_xq4a/Franco_Atirador_Malprg_-_1__1_.htm

http://www.4shared.com/file/eaqYHhvZ/Franco_Atirador_Malprg_2__2_.htm

Anúncios

33 Respostas to “Franco-Atirador”

  1. Elielson said

    Oi 😀

    Uma frase que eu li esses dias ai num link que um camarada jogou na net e que me agradou, era assim: PARTILHAR É SUBVERSIVO.
    D+.

  2. Fy said

    Oi !

    Elielson,

    Muito bom mesmo.

    Palavrinha danada esta : Subversão.

    Tinham que inventar… – pensa comigo: … pré-requisito dos grandes pensadores, caminho dos verdadeiros buscadores…. Seja lá em que , ou qdo e onde, Subverter a ordem, o lugar-comum, andar na contra-mão foi a marca e o legado deixado por eles.

    Enquanto vivos: subversivos; depois de mortos, qdo já não ofereciam mais perigo: gênios ou heróis.

    Não é não? > O que alimenta e sempre alimentou a alma dos descobridores, dos realizadores, dos poetas, dos gênios, é a inquetude, a inquietude é a força propulsora que nos coloca pra frente, pra trás, pra o lado, enfim, a inquietude natural: humana > e, claro: ganhou este adjetivo: Subversão.

    ser Subversivo é um protesto contra este rodamoinho que acalma e aterroriza, a subversão é pensar livremente , ela questiona e exalta, num balançar que nunca pára : movimento que mantém as coisas vivas exigindo que elas se renovem. Subversão é teimosia?, é dom ? é vocação ? é uma constante interrogação ? não é isto tudo, a própria Vida? A vida é subversiva.

    Não sei – E O que sei, é que todos os “grandes” da humanidade tiveram uma única constância : A Inconstância – A inquetude, – A busca, -o interrogar . …estes…quantas vezes, na coragem, na raça, na curiosidade, na inconformidade, …na subversão: salvaram muita gente…
    Subversão é a diferença.

    E é verdade, compartilhar é mesmo subversão – é bem diferente que distribuir. Vc foi brilhante.

    Eu gosto mto do Inagaki, que tem um balanço irresistível quando escreve, e ele diz uma coisa mto engraçada:
    Como Fazer Amigos e Influenciar Homens de Marte, Mulheres de Alpha Centauri e Chorões às Margens do Rio Piedra :
    ou: – Seja Feliz e Ajuda-te a Ti Mesmo Sozinho e Sem Ajuda de Ninguém, Mexendo no Queijo Alheio de Acordo com os Princípios do Feng Shui –
    É o manual do não-subversivo. Comercial e corretamente político.

    Se foi isto o que este cara jogou na net, que bom.

    A subversão é na realidade, o balanço. – Balanço de que ? O Balanço da nossa energia humana, inteligente, poética, mutante, aquela que transforma, movimenta, cria espaços pra crítica, análise, questionamentos, compartilha sem medo, rompe fronteiras, derruba muros, descobre, faz : tempo, cria, rompe e modifica : e acaba mesmo sendo compartilhada. E quem tem este dom, ou este defeito; compartilha > naturalmente; … – eu acho mesmo, que até “nem” sabe se isto é subversão ou não. é um jeito de ser .

    E no caso, e assimqueassim : – Muito Obrigado, Mob ; por ser “subversivo” com tanta poesia, balanço e carinho despreocupado. – um beijo enorme por compartilhar [o Franco Atirador – que afinal, sempre vai existir dentro de nós ] e nem ter se preocupado com isto. – Bonito.

    Bj

  3. adi said

    Fy e Mob,

    Muito obrigado a vocês dois por compartilharem esse “rico” arquivo que foram os posts do Franco Atirador.

    Obrigado mesmo!!

    valeu. 😉

  4. Kingmob said

    Por nada, Adriana,

    este é o tipo de conhecimento privilegiado, mas cujo acesso não deve ser um privilégio de poucos.

    Abs,
    Mob.

  5. Kingmob said

    Apenas um subversivo carioca:

    Burguesia
    Cazuza
    Composição: Cazuza/ Ezequiel Neves/ George Israel

    A burguesia fede
    A burguesia quer ficar rica
    Enquanto houver burguesia
    Não vai haver poesia

    A burguesia não tem charme nem é discreta
    Com suas perucas de cabelos de boneca
    A burguesia quer ser sócia do Country
    A burguesia quer ir a New York fazer compras

    Pobre de mim que vim do seio da burguesia
    Sou rico mas não sou mesquinho
    Eu também cheiro mal
    Eu também cheiro mal

    A burguesia tá acabando com a Barra
    Afunda barcos cheios de crianças
    E dormem tranqüilos
    E dormem tranqüilos

    Os guardanapos estão sempre limpos
    As empregadas, uniformizadas
    São caboclos querendo ser ingleses
    São caboclos querendo ser ingleses

    A burguesia fede
    A burguesia quer ficar rica
    Enquanto houver burguesia
    Não vai haver poesia

    A burguesia não repara na dor
    Da vendedora de chicletes
    A burguesia só olha pra si
    A burguesia só olha pra si
    A burguesia é a direita, é a guerra

    A burguesia fede
    A burguesia quer ficar rica
    Enquanto houver burguesia
    Não vai haver poesia

    As pessoas vão ver que estão sendo roubadas
    Vai haver uma revolução
    Ao contrário da de 64
    O Brasil é medroso
    Vamos pegar o dinheiro roubado da burguesia
    Vamos pra rua
    Vamos pra rua
    Vamos pra rua
    Vamos pra rua
    Pra rua, pra rua

    Vamos acabar com a burguesia
    Vamos dinamitar a burguesia
    Vamos pôr a burguesia na cadeia
    Numa fazenda de trabalhos forçados
    Eu sou burguês, mas eu sou artista
    Estou do lado do povo, do povo

    A burguesia fede – fede, fede, fede
    A burguesia quer ficar rica
    Enquanto houver burguesia
    Não vai haver poesia

    Porcos num chiqueiro
    São mais dignos que um burguês
    Mas também existe o bom burguês
    Que vive do seu trabalho honestamente
    Mas este quer construir um país
    E não abandoná-lo com uma pasta de dólares
    O bom burguês é como o operário
    É o médico que cobra menos pra quem não tem
    E se interessa por seu povo
    Em seres humanos vivendo como bichos
    Tentando te enforcar na janela do carro
    No sinal, no sinal
    No sinal, no sinal

    A burguesia fede
    A burguesia quer ficar rica
    Enquanto houver burguesia
    Não vai haver poesia

  6. adi said

    Oi Mob,

    É um privilégio mesmo, que bom que você prevenido tinha esse arquivo guardado, seria uma grande pena tudo isso desvanecer junto com o blog, afinal, como você falou, não deve ser um privilégio de poucos.

    abs,
    Adriana

  7. Prouco said

    Agradeço, mesmo!

  8. Kali Worshipper said

    Que os panteões do inconsciente te abençoem, King. Achei que nunca mais veria esses posts.

  9. oquenadasabe said

    Um dos Vinte Fieis leitores resolveu continuar com a bandeira do franco-atirador e entrar na zona de combate contra pensadores-binários e solicita ajuda num ato de terrorismo poético.

    http://ateus.net/forum/topic/3032-o-evangelho-segundo-sao-dawkins/

  10. adi said

    Oi Oquenadasabe,

    Eu li seu post lá nos “ateus.net”; e ficou ótimo, muito bom mesmo.

    E li os comentários também, e você foi mexer num vespeiro irado (rsrs)! Ainda não li nenhum livro do Dawkins, por isso, infelizmente (porque gostaria de), de minha parte, não posso te ajudar nesse combate contra os pensadores-binários (rsrs), mesmo porque ali naquele campo de batalha (casa deles), não há espaço pra um “meio termo razoável entre ciência e espiritualidade”, a egrégora memética é muito forte; qualquer tentativa será rejeitada. Esqueceram por completo as fontes da Alquimia, que mais tarde deu origem a ciência… Muito embora, seus argumentos estão excelentes e bem plausíveis, e talvez por isso, haja alguma possibilidade de reflexão.

    Que Éris/Ares o proteja. 🙂

  11. Filipe Wels said

    Acho uma perda de tempo descabida argumentar contra fanáticos religiosos. Temos coisas melhores a fazer!

  12. adi said

    Oi Filipe, welcome back! 🙂

    Lembra uma vez, lá no Franco Atirador, você argumentou comigo sobre “crenças”, de como nossas crenças é que moldam nossa percepção da realidade, sendo assim, tudo o que existe está baseado de alguma forma em “crenças”. Pois é, naquele momento, eu rejeitei seu argumento (rsrs), mas fiquei a refletir, a questionar… E você tinha razão, dou a mão a palmatória (rsrs), você estava certo em seus argumentos.

    De alguma forma, talvez Oquenadasabe, pode levantar uma semente de dúvida num sistema de crenças rígido como é o dos que não acreditam em “crenças”, paradoxo né? mas até pra não acreditar, há que se acreditar em algo oposto ao crer…

    Viu como você tinha razão!

    Abs
    adi

  13. adi said

    Oi novamente Oquenadasabe e Filipe,

    Pois é, este assunto já foi levantado aqui mesmo no Anoitan pelo Filipe, não lembrava mais…

    Aqui está: https://anoitan.wordpress.com/2009/02/01/a-nova-cruzada/#more-354

    Entendo porque o Filipe acha perda de tempo.

  14. Filipe Wels said

    Sabe o Marcelo Del Debbio? Ele comentou que mostraram pra ele um mapa atral. Ele bateu o olho e disse que era de um fanático religioso. Daí a pessoa que mostrou o mapa disse que era do Dawkins!
    Isso só mostra o quanto esse pessoal é crente, igual a qualquer testemunha de jeová por aí. Por isso é inútil argumentar.

    É claro que isso nao serviria como argumento contra eles tambem- afinal, nao acreditam em astrologia 🙂

  15. don guakito said

    Um dos Vinte Fieis leitores resolveu continuar com a bandeira do franco-atirador e entrar na zona de combate contra pensadores-binários e solicita ajuda num ato de terrorismo poético.

    http://ateus.net/forum/topic/3032-o-evangelho-segundo-sao-dawkins/
    ————-

    eu ia comentar as interpretações, equivocadas, sobre o zero, visto pelo meu ponto de vista, mas como aquele q teme o personagem de ficção demiurgo puxou o carro por a adi, aparentemente, ser “escrava” do deus da matéria! :D, perdi o tesão. Pq esse povo gnóstico sempre puxa o carro ou acusam o sapato dos outros? 😀 😀 pra mim é falta de tecnologia espiritual aplicada ao corpo material. 😛

    e como solidariedade é um treco em falta no mundo linear ocidental e talz, no dia 22 de janeiro serei solidário ao camarada praticante da arte máxima de terrorismo poético e comentarei lá no forum dos religiosos da simetria original. Tentarei um kungfu mágico de um golpe/post só! 😀 mas com direito a um curto vídeo do dawkins experimentando o capacete de deus e sentindo momentaneamente algo (a expressão do corpo e a voz dele entregam) e depois dizendo q não sentiu nada. Pra quem não sabe o capacete de deus é um dos trunfos para quem defende “telepatia”, pois duas pessoas em comodos diferentes com o capacete funcionando, numa vc pisca luz nos olhos, no cérebro da outra, no outro quarto, registra-se a mesma coisa que no cérebro da pessoa q recebeu o pulso de luz! 😀 sim. comodos faradeicamente selados! 😀

    claro q não deixarei o borzacchini de lado, nem o alain connes e sua matemática do caos (q faz com o tempo oq os fractais quase fazem com o espaço) e o fato de que a música assimétrica do velho pitágoras e dos velhos taoístas de fora, nem o fato de toda lógica e linguagem mãe da escrita científica (a matemática, q pro unnabomber é arte e não ciencia, e concordo com ele) ser dependente e presa a um simples e ridiculo dogma, dum anelzinho ai! 😀 Dogma o qual o alain connes está a lutar contra, ou então será o fim do insight, da intuição, na ciencia como diz o matemático (de matemática aplicada) o dr. strogatz, fim esse, o fim do homem-que-pensa na ciencia, já iniciado pelo trabalho do “novo tipo de ciencia” do wolfram.

    e é como diz o vovozinho da filosofia da ciencia, esse povo, os devotos de são dawkins, são a casca necrosada do velho paradigma. com o tempo apodrecem e historicamente serão lembrados como o que são: medrosos, temente da incerteza que sempre volta pra renovar, seja nos dogmas da ciencia da religião, seja nos dogmas da religião da tecnologia/ciência.

    um aperto de pé erisiano pra vc caro ignorante que nada sabe tb, como nós todos! 😀

    .g

    ps: eu nem ia, mas depois daquela jana do arco pegar no pé de erro de portugues, ah! ligou meu capeta interior, q habita meu períneo, e ao mesmo tempo, pra manter a tensão equilibrada ligou minha divindade interior, no xing(coração) e a ligou com a divindade transcendental, no topo da coroa (baihui/ori) em meu xing (mente). divirtamo-nos por lá em nome da deusa sem forma no vazio do wuji! 😀

  16. oquenadasabe said

    MATEUS 7:6
    Não deis aos cães o que é santo, nem lanceis ante os porcos as vossas pérolas, para que não as pisem com os pés e, voltando-se, vos dilacerem.

    Nos infernos binários da net a gente sente isso na pele!

  17. don guakito said

    :D:D
    ui! esse pedaço de jezuis sempre me incomodou, vai ver o deus entrópico dele nesse momento não encontrou o deus negentrópico (o qual, segundo mestre nan, jesus só encontrou quando soltou a perola “eles não sabem oq fazem”! :D) e esse é um dos pobremas da bribia pra mim.

    qual é o problema de lançar “minhas” pérolas aos porcos? 🙂 “eu” já deixei de existir dentro de “mim” há uns anos! 😀 as perolas não são minhas! 😉 e qual o problema de ser dilacerado se o “eu”, a personalidade (q é um complexo energético rígido, logo, morto desde q nasce!) já foi destruída pela individualidade (q é um complexo energético flexível, logo vivo desde antes de nascer! :D)??

    a gente só sente na pele oq a gente ainda carrega dentro da gente! 😀

  18. Thomas said

    Bah, pegando uma discussão que nem é minha, aliás, nem passa perto de mim, aliado ao fato de que minha opinião vale muito pouco, não sei por que ficar quieto.

    EU, EU acho que discutir num fórum onde alguém usa uma bunda de cachorro como avatar, é meio que dúbio.
    Veja, raramente acontece de uma postura radical mudar quando se evidencia a inconsistência dessa postura. Mais raramente ainda quando a inconsistência é mostrada via internet.
    Por isso que eu pergunto àquele que nada sabe, o que procuras com isso? Ver o circo pegar fogo é bem legal e tal, as chamas são altas, mas de bom só se descobre que o fogo queima.
    EU, EU sou mais deixar cada louco no seu hospício do que ver os loucos se queimando.

    De mais e mais metáforas: Se as pérolas não forem digeridas, saem do mesmo jeito que entraram. 🙂

  19. don guakito said

    De mais e mais metáforas: Se as pérolas não forem digeridas, saem do mesmo jeito que entraram.

    :D:D:D:D:D:D:D
    me metendo na sua pergunta, nesse “forum” publico, ao q nada sabe,
    pra EU, thomas, o barato num é ver o fogo, mas é ver todo mundo queimando junto com info e mindfuck:operation, in sync! 😀 o fogo dança e tudo q dança é divino! 😀 e até onde sei, se num é forum privado ou blog privado, é de todo mundo! nóis incluso! 😀 😀 e tem coisa mais legal pra fazer na net? se tem conta ai q to querendo aprender! 😀

    agora falando sério, lembrar os limites conceituais da ciencia, enquanto linguagem, e relembrar q religião nasceu como linguagem do dialogo do homem com a ecologia (“les dieux de l’egypte” de pascal vernus) sempre pode dar frutos interessantes. Por exemplo, o principio do ridículo de simples c:g::g:c q apregoo por ai serviu até pra minha companheira entender pq não acham um agente ai duma planta venenosa q fode rins dos animais quando vai pra necrópsia. mas num posso falar sobre isso direito pois é trabalho científico dela e lá no mundo científico dela tudo é mais capitalista e canibalista q wall street! 😀 mas mais um ou dois anos ela publica os resultados e a metodologia dela! 😀

    o negócio é ter respeito enquanto se desrespeita. 😀

  20. adi said

    Salve Don Guakito,

    Bom demais te ler aqui de novo, você é sempre muito bem vindo no Anoitan. 🙂

    ” eu ia comentar as interpretações, equivocadas, sobre o zero, visto pelo meu ponto de vista, mas como aquele q teme o personagem de ficção demiurgo puxou o carro por a adi, aparentemente, ser “escrava” do deus da matéria! , perdi o tesão. Pq esse povo gnóstico sempre puxa o carro ou acusam o sapato dos outros? pra mim é falta de tecnologia espiritual aplicada ao corpo material. ”

    Ah, que pena que não comentou!! pois seria mais um ponto de vista, muito interessante por sinal, que acrescentaria muito.

    “e como solidariedade é um treco em falta no mundo linear ocidental e talz, no dia 22 de janeiro serei solidário ao camarada praticante da arte máxima de terrorismo poético e comentarei lá no forum dos religiosos da simetria original. Tentarei um kungfu mágico de um golpe/post só! mas com direito a um curto vídeo do dawkins experimentando o capacete de deus e sentindo momentaneamente algo (a expressão do corpo e a voz dele entregam) e depois dizendo q não sentiu nada. Pra quem não sabe o capacete de deus é um dos trunfos para quem defende “telepatia”, pois duas pessoas em comodos diferentes com o capacete funcionando, numa vc pisca luz nos olhos, no cérebro da outra, no outro quarto, registra-se a mesma coisa que no cérebro da pessoa q recebeu o pulso de luz! sim. comodos faradeicamente selados! ”

    Vai ser imperdível!! só dia 22, não tem problema, esperamos, pois vai ser imperdível do mesmo jeito, ver o dawkins fazendo experiência neural e cara de “ué, que é isso? ” e depois desmentir tudo. (rsrsrs)

    ” eu nem ia, mas depois daquela jana do arco pegar no pé de erro de portugues, ah! ligou meu capeta interior, q habita meu períneo, e ao mesmo tempo, pra manter a tensão equilibrada ligou minha divindade interior, no xing(coração) e a ligou com a divindade transcendental, no topo da coroa (baihui/ori) em meu xing (mente). divirtamo-nos por lá em nome da deusa sem forma no vazio do wuji! <

    Coitada!! mas ela pegou pesado mesmo, não precisava ser tão chata e arrogante assim. 🙂

    Bom, dia 22 está marcado então, lá no “ateus.net”.

    🙂

  21. oquenadasabe said

    Estava esquecendo algo importante:

    Agradecer a atenção, agradecer aos subversivos compartilhadores pelo presente de natal e ao fogo que arde e transforma.

    Obrigado.

  22. don guakito said

    carissímos, é com tristeza que venho informar que don guakito morreu ontem, dia 22, durante um trágico arakiri cátaro simbólico. mas antes ele passou horas discutindo comigo sobre até que ponto a ciência pode querer explicar e definir algo que quando, e se, intervêm no mundo natural não pode ser percebido ou medido. No máximo Deus, milagres, e afins poderiam ser vistos como acidentes, ruídos dentro das constancias que formam as leis naturais. Após a notícia de sua morte, pequei os pedaços de nossas conversas via skype e montei uma colagem de texto e creio que honrei o nome do falecxido don guakyto no forum dos groupies e devotos de são dawkins.

    que os jogos continuem.

    abraço e aperto de pé,
    Timótio Pinto, o eternamente multiplo, logo, único.

    deixo cópia do texto postado no forum dos ateus aqui:

    AHH! A DESILUSÃO DE DAWKINS.
    (ou A CIÊNCIA PROVOU A NÃO EXISTÊNCIA DOS DEUSES?)
    por Timotio Pinto -papa coletivo metamorfo onipresente oniciente sempre contente e sorridente com pineal ardente, texto final escrito sobre rascunho deixado por Don Guakito antes de suicídio cátaro simbólico dentro da mente de seu hospedeiro e Papa Erisiano .G, em 22 de janeiro de 2010. amém, neném.
    (agora, sejamos sérios, imaginem aquele que escreve de terno, gravata, e calcinha cor d rosa).

    PARTE UM
    DAWKINS DELIROU AO CARCAR NA FÉ DOS OUTROS EM NOME DE SUA FÉ?
    Dawkins já recebeu prêmios por apresentar de forma concisa e acessível o conhecimento científico para o público geral. Oh! Parabéns, mas creio que ele fez o contrário. O retrato que ele traça da ciência é uma caricatura que muito é similar ao universo dogmático religioso que ele e seus groupies criticam enquanto espumam arrogância e intolerância.

    Em seu livro Dawkins “explica” que deus não existe. Que religiosos são, veja bem, se você é um religioso de uma forma ou outra, no universo simplista, binário e maniqueista de Dawkins, você automaticamente “descrê” em Darwin, logo, como o próprio Dawkins diz, e usando a mesma lógica de botequim que ele utiliza em seu livro supostamente polêmico e de valor intelectual (! 😀 :D) , se você é religioso ou místico, automaticamente você não crê na teoria da evolução e automaticamente vc é, por não acreditar na evolução, um ser ignorante, estúpido e/ou insano. Isso, é o que ele acha que explica, sendo ele um cientista, um homem “isento” e “racional”, mas esse fervor racionalista me leva a pensar então sobre o que estão a fazer os cientistas ao explicarem alguma coisa. O que é explicar algo do ponto de vista da ciência?

    Explicar algo, oras, é encontrar sua causa. Se Deus é a causa de tudo e não pode ser explicado, ele, obviamente, não existe para a ciência. Como a ciência é o mapa do real, e criadora das tecnologias que nos definem, é seguro afirmar que deus, na realidade, não existe. Simples assim. Parabéns ao Dawkins. Certo?

    Não é tão simples assim. Talvez a explicação científica tenha seus limites também. E talvez Deus esteja além de seus limites. Comecemos por lembrar que segundo Bertrand Russell causa era uma palavra perigosa, enganosa, que deveria des-existir. Deixando a causa de lado, então a ciência ao explicar estaria apenas a descrever algo? Lembrando Wittgenstein quando pegou o megafone e cantou que “na base de toda visão moderna do mundo está a ilusão de que as chamadas leis da natureza são as explicações de fenômenos naturais”, Sobra-nos somente a teleologia e a mágica e mental separação entre descrição e explicação. Pronto. Tudo filosoficamente complexo e confuso. Vou enfiar meu empirismo no cu de quem esta a tecer este texto… e ainda assim não provamos Deus, não nesse parágrafo. Mas continuemos a pensar qual é o e se há limite para a explicação científica, pois se a lei é descrição, ela também é uma explicação?

    tudo isso mostra, no mínimo, como é algo delicado o entendimento do que é direito da ciência, ou seja, o seu direito de intervenção e alcance, como seu direito, de explicação das coisas, sendo que ela age por ir descrevendo-as antes de tudo.

    Com isso em mente, tem autoridade o Richard Dawkins, não enquanto individuo, mas enquanto cientista, para decidir a veracidade ou não de um sistema religioso, ou de todos sistemas religiosos? Creio que nos últimos 100 anos os bons filósofos deixaram claro que é mais possível um puta dum enorme PROVAVELMENTE NÃO do que um sim, como resposta aqui.

    E pq? Juro que vou para o céu cristão por estar a gastar meu tempo com céticos fundamentalistas intelectualmente limitados, ah! se vou!

    Se caminharmos a partir das leis naturais para explicar a não existência de Deus, ainda sim o caminho e a negação será insuficiente, pois ao explicar as leis naturais e seus princípios gerais, a diferenciação entre um princípio e um acidente é cercada de incertezas. E, apesar dos divulgadores da ciência, como carl sagan e richard dawkins em sua fase final, insistirem em passar uma imagem de evolução linear, dentro do principio pregado por francis bacon, de que a ciencia avança por pequenos passos via ações cooperativas de pessoas que tinham o bom, e fora de uso, senso de cultivarem a independência de julgamento e o direito a liberdade de pensamento, não que muito o seja, mas nisso incluamos os acidentes e os bizarros gênios monstruosos, como richard feymann, eistein, newton, kepler, godel, poincarè, levi-strauss, darwin, william hamilton, etc, etc.

    Mas o que torna a ciência hoje ciência mais do que nunca é a armadilha de que ao explicar as leis naturais e seus principios gerais, a diferenciação entre um princípio e um acidente é cercada de acidentes. Entendem?

    E se a Verdade e a utilidade forem realmente idênticas, como Francis Bacon pensou?
    Onde estaria a verdade sobre a certeza científica sobre a a condição da religião enquanto loucura? Qual a utilidade de se extrapolar os limites da explicação científica com retórica grosseira para Richard Dawkins? E se realmente sir. Francis Bacon, q como todo grande homem tinha seu lado maluco, e se ele estiver correto e a verdade e a utilidade forem idênticas?

    Vamos vendo que a certeza de qualquer afirmação sobre algo além da ciência, vinda de Dawkins é somente um jogo vazio.

    “Para ser comandada a natureza precisa ser obedecida” gritou no megafone o espírito do francis bacon. para entender algo é preciso apreciá-lo, não dissecá-lo.

    Um bom cientista em vez de caricaturizar a religião ao menos iria estudá-la, de modo isento. E talvez descobrisse coisas interessantes. E nem os céticos vão negar, que há um bom número de grandes cientistas que acreditam na evolução, praticam alguma forma de espiritualidade, praticam sua ciência, criam avanços em suas área e não tem conflitos pela mistura de “crenças” com “sistemas”, e assim temos uma pletora de cientistas e pesquisadores isentos, ou equilibrados, por aceitarem duas visões completamente opostas e sem qualquer semelhança, se não totalmente, oq seria possível somente a um buda, oq por sua vez é algo inexistente no mundo dos céticos fanáticos -e sua neurose escamoteada – e então temos uma pletora de cientistas e pesquisadores isentos, se não totalmente, o suficiente para não projetarem bloqueios em áreas distantes da realidade científica, realidade que nada tem de autoridade sobre a “Verdade”, o “correto” e o “incorreto”, pois a ciência, como nos diz XXXXXXXXXXXXXX, não é sobre a verdade, e é sim, sobre ser consistente, o que explica, e muito, seus extremos, como os groupies de são richard dawkins.

    E poderíamos resumir tudo a ao fato também que, usando palavras simples e diretas vindas de um físico, provavelmente ateu, mas elegante e sabedor dos limites da explicação científica, Marcelo Gleiser, “Para começar, existem certas questões que estão fora do âmbito científico. Mais ainda, nós nunca seremos capazes de formular todas as perguntas. Às vezes, confundimos o objetivo comum da ciência e da religião, a busca por uma perfeição inatingível”.

    E voltemos a caricatura de que todo religioso é ignorante e insano e bocá. Vejamos, eu sou um taoísta praticante. Pratico minha religião toda noite, seguindo as receitas, inclusive as de alimentação, do livro taoist yoga de charles luk, há alguns anos e com resultados surreais, sempre, todo dia, por duas horas sentado em lótus com respiração inversa pois estimula o diafragma e junto o nervo vagus, no qual devo focar minha mente ao mesmo tempo em que foco a mente no pulsar de meu coração, com o intuito de ascender ao palácio celestial, que é um termo alegórico, e religiões são cheias de termos alegóricos, para o fato de que o principal processo na minha forma de meditação é ionizar além do normal minhas glândulas na área do centro do cérebro -o palácio celestial taoísta. A isso chama-se dao yin, retorno ao feminino, em tradução literal, já que utiliza o, cada vez mais surpreendente, nervo vagus, reforçando o sistema parassimpático. Para entender melhor o processo quem se interessar pode começar por ler o livro “Pq zebras não tem ulceras”, de Robert Sapolsky. Mais uma vez a ciência moderna e a medicina folclórica taoísta se encontram. Como o fato que a Dra. Mae Wan Ho, uma temida divulgadora da “pseudociência” da epigenética, explicitou via sua fundação ISIS, sobre o que ela chama de “quantum jazz”, outro ponto em que o taoísmo, essa religião irracional, se encontra com a ciencia.

    Entendem? Mesmo sendo um insano taoísta que crê que Deus é um treco chamado WUJI, ou vazio, ou fêmea sem forma (mãe dos dez mil seres), eu ainda posso me dedicar e curtir matemática e filosofia e trabalhar com computação gráfica hardcore e tudo mais. Nem tudo tem, é ou precisa ser preto ou branco como Dawkins parece acreditar.

    Por exemplo, qual a verdade por trás do fato de galileu medir o tempo q as bolas levavam pra rolar a ladeira? ele retirou dali um princípio, filtrou os acidentes, mas qual a verdade deste princípio? explicar a verdade, controlá-la torna-se a simples ação quase recursiva de se fazer uma dedução de um principio mais fundamental. A verdade, na ciencia, se torna um jogo, nunca completo. E saber disso é essencial para entender-se o limite até onde a explicação científica pode e deve ir.

    A ciência pode explicar tudo dentro do seu princípio que é o de dar consistência. Mas a ciência não pode explicar qualquer coisa. Como somos parte daquilo que estudamos, nunca poderemos saber todas as condições. Podemos nos enganar com explicações parciais satisfatórias, mas no fundo sabemos que todos eventos dependem de acidentes, de dados, que jamais poderemos recuperar.

    E isso nos leva às verdades morais e espirituais. A ciência nunca pode explicar nenhum principio moral. A ciência, enquanto linguagem, sim a ciência enquanto linguagem não tem alcance quando o assunto envolve questões como o que se está, o que se é e o que se deve ser. O que devemos ou não fazer, os fluxos dos corpos sociais, isto o conhecimento científico, matemático, natural, biológico, não pode responder satisfatoriamente, muito menos imbuir de consistência, repetição, previsibilidade; o conhecimento científico ai nada deduz e a tudo induz. Um pesadelo e irresponsabilidade moral.

    Os divulgadores da ciência passam a idéia de certezas. Há na mídia, graças aos divulgadores da ciência a idéia de que os cientistas tem certeza das coisas. Mentira. Outro desfavor que Richard Dawkins faz em seus livros toscos para groupies tão ou mais toscos. Afinal como diz Steven Weinberg, “Tal como há profundos teoremas matemáticos que mostram a impossibilidade de provar que a aritmética é consistente, parece que nunca seremos capazes de provar que as mais fundamentais leis da natureza são matematicamente consistentes. Não que isto me assuste, pq, mesmo que soubéssemos que as leis da natureza são matematicamente consistentes, ainda assi não teríamos certeza de que elas são verdadeiras. Você deixa de se preocupar com certezas quando dá aquela virada na carreira que o transforma num físico, não num matemático”.

    Alguns creem , sim alguns cientistas CRÊEM que chegaremos um dia a leis simples, formulas elegantes e mínimas que poderemos explicar seu funcionamento, aplicação, mas nunca o pq de elas existirem. Entendem como os limites da explicação científica são vastos? Vastos limites.

    Mesmo assim, os groupies de são dawkins continuarão a usar sua lógica, incompleta, para afirmar que nenhum deus existe. Pois como entes presos ao principio de visual (toda ciência moderna prende-se, ou seja, é limitada, ao princípio de prender o tempo à mesuração espacial) os groupies de são dawkins creem no poder da lógica tradicional aplicada a tudo, incluindo a conceitos e/ou experiências que extrapolem sua linguagem com raiz no principio geométrico de contenção do infinito, via irracionais.

    Ou seja, os devotos de são dawkins são sim tão fundamentalistas quanto os mais caricatos fundamentalistas da linguagem religiosa. Afinal, acreditam os céticos cheios de certezas absolutas, que a lógica tradicional, do bom e velho sim-não, tem poder de explicação sobre tudo.

    Daí mais uma vez a demonstração de sua ignorância ou falta de caráter, pois qualquer pessoa minimamente inteligente sabe que a lógica tradicional há gerações está impotente de dar conta das situações caóticas (o tempo além da medição espacial) que criam a realidade coletiva.

    Por isso que homens como Alain Connes apregoam que a matemática do futuro será esquizofrênica, e se comportará como uma sinfonia, e que a teoria musical é o caminho para sua harmonização.

    Talvez algum dia a ciência poderá afirmar a não existência de algo que a transcende, mas não no momento, não enquanto se limitar a explicar tudo seguindo um modelo básico onde o infinito, e o tempo, devem ser contido geometricamente.

    E quanto menos a ciência se segurar em certezas vindas de sistemas lógicos incompletos, melhora para ela e para todos. Pois assim a ciência caminha, cresce, ou como gostariam de ouvir os devotos de são dawkins, a ciencia assim evolui.

    Talvez por isso que são dawkins esteja tão polarizador, pois talvez suas certezas estejam se enchendo de duvidas e ele então violentamente precisa se auto-afirmar. Um adolescente geriátrico. Afinal, hj, como a epigenética ajuda a demonstrar não faz mais sentido o jogo de oposição naturezaXcriação, genesXambiente, pois como tudo que é real, vivo e verdadeiro, o desenvolvimento, ou evolução pois essa palavra dá orgasmos múltiplos em groupies de são dawkins, o desenvolvimento humano é algo complexo e paradoxalmente interliga esses dois jogos de oposição.

    Assim, do mesmo modo que outros paradigmas na ciência foram caindo e sendo substituidos, hj entendemos que é mais inteligente esclarecedor pensar nos genes, não como causadores (lembremos de Bertrand Russel!) mas mecanismos, engrenagens e não pequenos deuses totalmente autoritários e determinísticos.

    Talvez Dawkins esteja apenas se adaptando ao novo mundo, ao seu modo, novo mundo onde o dna e o gene começam a se estranhar, e que talvez o gene seja só um conceito, uma abstração, um modelo, dentro de uma linguagem, oras, do mesmo modo que a religião é apenas uma linguagem, que a principio, tem a função de conectar e criar uma comunicação entre o indivíduo e sua ecologia..

    Pois, não só na religião, mas na ciência, as vezes é tudo uma questão de fé.

    Quando Darwin propôs seu modelo evolutivo via seleção natural a necessidade de um mecanismo para a manutenção das características ao longo das gerações se fez presente. E, desde o início, encontrar esse mecanismo se tornou urgente. Daí o poder do “gene” enquanto conceito, ao menos no, já morto, século 20.

    O gene do século 20 é defesa definitiva da certeza em Darwin. James Watson e Francis Crick haviam encontrado nas curvas sensuais daquela estrutura de dupla hélice, o caduceu do DNA, a portadora de nossas informações genéticas, de nossa unidade definitiva e fundamental, pois auto-replicante. Ali estava o gene, pedaço de dna que codifica uma proteína!

    Mas, no mundo incerto da ciência, há quem, como demonstra com classe e lógica Evelyn Fox Keller, o DNA não se copia sozinho. Há a dependência de enzimas cooperativas para verificarem a precisão de uma transcrição como corrigir o DNA mal copiado. Com o caminhas da curiosidade e pesquisa não presa a dogmas e conceitos, descobriu-se que o “DNA-lixo” interrompe o processo e que as enzimas precisam praticar o equivalente ao ato de “editar”, onde os mecanismos enzimáticos decidem oq cortar, dando uma diversidade de proteínas que dali pode sair. E ela segue nos lembrando que outro problema ao conceito de gene determinístico em seu livro The Century of The Gene. Talvez a neurose de São Dawkins seja devido ao fato do fim do século do gene, quando o gene deixa de ser um objeto físico e, como um Deus dentro da linguagem da religião, torna-se uma abstração dentro da linguagem da ciência, afinal, sabe-se hj, no século 21 que o programa genético é um complexo interativo de estruturas em uma vasta rede de máquinas celulares, não mais aquela coisinha que a tudo pode determinar, como querem alguns ainda.

    Dizem que basta seguir o dinheiro para saber para onde as pessoas estão indo e pq estão a agir como agem. É de se entender com a queda desse dogmatismo genético que criou uma indústria financiadora de pesquisas e mais pesquisas o problema financeiro que algumas áreas das ciências biológicas poderão enfrentar no futuro, afinal, cientista depende de empresas e dinheiro para suas práticas.

    No final, quando toda exatidão é dissolvida pela incerteza e complexidade da real realidade, é o desejo, crença, fé humana, científica ou religiosa, que importa. Dawkins e seus altivos groupies auto-inconscientes inclusos.

    PARTE DOIS
    NÃO TEM PARTE DOIS, POIS COMO DIZ UM GRANDE MÍSTICO AI, NOLINI KANTA GUPTA, EM “VERS LA LUMIÈRE”, “NUNCA DIGAIS EU NÃO POSSO. OLHAI MAIS E PERTO E DESCOBRIREIS QUE, NA VERDADE, ISSO SIGNIFICA EU NÃO QUERO”.

    (ou, se a base da linguagem matemática se prende ao dogma religioso do anel comutativo, e consequentemente, da necessidade de convergência e simetria, como pode ser que na música e religião taoísta, esse dogma científico seja quebrado com c:g::g:c, onde c:g é 2:3 e g:c é 3:4? É como diz Alain Connes, a matemática está a ficar esquizofrênica, e como toda ciência, depende da lógica e/ou matemática em algum ponto, fica difícil aceitar qualquer extrapolação vida de indivíduos limitados em relação ao entendimento da filosofia de sua própria profissão, como Richard Dawkins. Acho que mais claro do que ísso, impossível.

  23. adi said

    Salve Don Guakito e Timótio Pinto,

    Olha!! muito bom seu comentário, tanto que merece estar como um post, e me desculpe, mas tomei essa liberdade de colocá-lo lá na primeira página, pra todo mundo ler e poder comentar também.

    obrigado.

  24. Alagacone said

    O link está inválido. Se puder consertar…

  25. adi said

    Olá Alagacone,

    Seja bem vindo ao Anoitan.

    Desculpe. Parece que o arquivo foi retirado/deletado do link, por isso constou inválido.

    Já abri uma nova conta no 4shared, e já está tudo “nos conformes”, 🙂 , é só clicar nos links atualizados no post acima.

    abs

  26. Alagacone said

    Olha Adi, sem querer ser chato, mas os 2 links novos estão dando como inválidos.

    Não sei se é erro do 4shared, mas foi o que apareceu aqui.

    abs

  27. adi said

    Estranho,

    Aqui do meu computer estou clicando 2x no link, aparece primeiro arquivo inválido mais abre em seguida, e fiz o download normalmente. Antes de colocar os links aqui nos post, testei 2x cada link, e deu tudo ok. Agora mesmo baixei arquivos dos 2 links.

    Vou verificar direto na conta pra ver se tem algo errado.

    Tenta novamente, se não der certo você avisa que tento via e-mail, até arrumar os links.

    abs

  28. Dannilo said

    Também não estou conseguindo acessar. 😦

  29. Alagacone said

    Então Adi, eu tentei os dois links pelo firefox e pelo Internet Exlorer e o resultado é sempre o mesmo: “O link para o arquivo que você solicitou não é válido.”

    Talvez o jeito que o arquivo tenha sido nomeado impossibilite o download. Sei lá…
    Mas valeu o esforço! O que vale é a intenção.

    abs

  30. adi said

    Oi Dannilo e Alagacone,

    Desculpem a demora, só ontem pude verificar novamente o 4shared, e acho que agora os links estão ok, inclusive está constando na busca do 4shared.

    Agora se vocês tentarem de novo, vão poder baixar sem problemas.

    Abs
    adi

  31. Alagacone said

    Realmente!Agora os links estão funcionando perfeitamente! Valeu Adi!

  32. Dannilo said

    Obrigado. 🙂

  33. W said

    Por que o Franco-Atirador foi encerrado?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: