Anoitan

“Se sempre há um amanhã, sempre há um anoitã.”

Homenagem a Raulzito

Posted by adi em agosto 22, 2009

Ontem 21 de Agosto, fez vinte anos que um dos maiores musicos do nosso País, Raul Seixas,  morreu. Raul não foi só um músico, foi um artista genial, que inovou com sua obra, abriu cabeças e deixou uma mensagem que ainda hoje é atual. Com certeza ele estava muito a frente de seu tempo.

Um pouquinho dele pra matar a saudade:

Raul Seixas era um garoto muito tímido na infância e na adolescência, e só vivia trancado no quarto lendo e compondo. Seu sonho no inicio era ser um escritor, até o Rock n Roll aparecer em sua vida. Nesse momento, nas telas dos cinemas, encanta-se com o talento de Elvis, de quem torna-se fã – e aponta-lhe o rumo musical: o Rock’n Roll. Sempre gostou também de clássicos do rock dos anos 50 e 60.

  • Raul Seixas desde criança escrevia textos e poesias. Fazia também revistas em quadrinhos para seu irmão (Plínio) a quem vendia. Seu sonho também era ser um escritor.
  • Raul Seixas e Waldir Serrão foram um dos primeiros garotos a terem contato com discos de Rock n Roll no Brasil, na Bahia, por que estava infestada de americanos nos anos 50/60, que se mudavam por questões de trabalho, assim toda a cultura do Rock foi trazida através deles.
  • No final dos anos 60, Raul Seixas teve um encontro com Mick Jagger. Que o incentivou a tocar música africana, pois vendo a música brasileira na raíz, havia percebido que a bossa nova era uma farsa.
  • Raulzito e os Panteras (banda de Raul) acompanhava artistas de pedigree que iam fazer shows na Bahia, entre eles: Roberto Carlos, Jerry Adriani e Wandérleia.
  • Raul Seixas passou nos primeiros lugares no vestibular de Direito, para impressionar a familia de Edith, que seria desde então a sua primeira esposa.
  • No inicio dos anos 70, Raul ao lado de Leno ( Da dupla Leno e Lilian ) gravou um disco chamado “Vida e Obra de Johnny McCartney”, um disco que caso fosse lançado seria uma evolução musical incrível para a época, pois seria um divisor de águas entre a Jovem Guarda e o Rock Nacional, porém pelo forte teor político, ele foi censurado. Raul divide parceria com Leno em 6 faixas do Disco. “Sentado no Arco-Iris”, segundo Leno, foi a primeira letra que Raul tivera realmente orgulho de escrever, lembrando que desde então suas letras eram românticas feitas para a Jovem Guarda.
  • Antes de ser cantor, Raul Seixas atuou como Produtor da CBS, produzia diversos artistas da Jovem Guarda, e compunha para eles também, entre artistas que gravaram suas canções destacam-se: Jerry Adriani, Diana, Leno e Lilian, entre outros.
  • A primeira música assinada por Raul Seixas/Paulo Coelho, “Caroço de Manga”, na verdade foi composta apenas por Raul Seixas, para incentivar o amigo, ele colocou o nome de Paulo Coelho na música, que mais tarde afirmou que aprendeu a escrever graças a linguagem popular que Raul Seixas o ensinara. Outra questão interessante é que os parceiros de composições de Raul Seixas costumavam ser seus amigos e por vezes até suas mulheres, frisando que Raul Seixas era muito generoso em dividir parcerias com todos eles.
  • Raul Seixas no Festival Internacional da Canção, escreveu duas músicas, Let me sing, Let me sing my Rock’n Roll e Eu sou eu, Nicuri é o Diabo, na primeira ele dividiu parceria com sua primeira mulher, para driblar o regulamento, que só exigia que apenas uma música por compositor fosse escrita no concurso.
  • Raul Seixas compôs Metamorfose Ambulante aos 12 anos.
  • A canção Gita, foi inspirada no livro hindu, chamado Baghavad Gita. Raul Seixas afirmou que compôs a música para falar de DEUS, como um “todo”.
  • A canção Um Messias Indeciso, foi inspirada no livro chamado: As Ilusões – As aventuras de um Messias Indeciso.
  • A canção Sociedade Alternativa é inspirada em escritos do ocultista  Aleister Crowley.
  • A canção Água Viva, foi inspirada em  textos de São João da Cruz, um santo da Igreja católica.
  • Raul Seixas queria ser um ator, chegou a fazer um projeto de um filme que foi mal-sucedido, ele seria o personagem principal e também havia escrito o enredo. Ele dizia: ” Sou tão bom ator, que finjo ser compositor e cantor, e todo mundo acredita. “

Pensamentos:

“A arte de ser louco é jamais cometer a loucura de ser um sujeito normal.”

“Ninguem tem o direito de me julgar a não ser eu mesmo. Eu me pertenço e de mim faço o que bem entender.”

“Todos os partidos são variantes do absolutismo. Não fundaremos mais partidos; o Estado é o seu estado de espírito.”

“Só há amor quando não existe nenhuma autoridade.”

“O sonho do careta é a realidade do maluco.”

“A desobediência é uma virtude necessária à CRIATIVIDADE.”

“Ninguém morre, as pessoas despertam do sonho da vida.”

“Quero a certeza dos loucos que brilham. Pois se o louco persistir na sua loucura, acabará sábio.”

“Eu não sou louco, é o mundo que não entende minha lucidez.”

“Somos prisioneiros da vida e temos que suportá-la até que o último viaduto nos invada pela boca adentro e viaje eternamente em nossos corpos.”

“A formiga é pequena, mas elas são um exército quando juntas.”

“De que o mel é doce é coisa que eu me nego a afirmar, mas que parece doce eu afirmo plenamente.”

“Nunca é tarde demais pra começar tudo de novo.”

“Há Homens que nascem póstumos.”

“Que capacidade impiedosa essa minha de fingir ser normal o tempo todo.”

“Antes de ler o livro que o guru lhe deu, você tem que escrever o seu.”

fonte: Wikipédia

Anúncios

10 Respostas to “Homenagem a Raulzito”

  1. Roberto Figueiredo said

    Muito bom!!!
    Não sabia que a musica Um Messias Indeciso se baseava no livro do Richard Bach

    Obrigado

  2. Roberto Figueiredo said


    Um Messias Indeciso

    Assistam vale a pena

  3. adi said

    Olá Roberto,

    “Obrigado”

    Não por isso.

    “Assistam vale a pena”

    Assisti, realmente muito bom, muito bom. O Raul foi o “cara”, parece que ele já nasceu sem condicionamentos (rsrsrs).

    abs

  4. Filipe Wels said

    Sou fã incondicional do Raulzito. As letras dele sao fantasticas. Valeu pela lembrança, Adi!

  5. Mercius said

    do que ter aquela velha opiniao formada sobre tudo…

    todos nascemos sem condicionamento, é a trindade do mal (governo, religiao e economia) alienados com o medo de nossos pais de nao sermos normais, que nos condicionam a sermos engrenagens do sistema..abraços…

  6. adi said

    “Valeu pela lembrança, Adi!”

    Valeu, Filipe.

  7. adi said

    “todos nascemos sem condicionamento”

    É verdade Mercius, é verdade….

    Então, eu diria que ele já nasceu livre o suficiente pra não ser condicionado pelo sistema, ou aceitar esses condicionamentos impostos pela sociedade.

    abraços

  8. Mercius said

    Nao tem como fugir da tempestade do mundo, estamos aqui pra enfrentá-la. Somente por termos noção de onde pisamos ja é um grande passo pra evolucao em geral…

    Qualquer coisa, estamos ai…

    Abraços..

  9. adi said

    Salve Mercius,

    Aliás! seja bem vindo aqui no Anoitan.

    “Nao tem como fugir da tempestade do mundo, estamos aqui pra enfrentá-la. ”

    Eu sempre falo pra mim mesma: não há outro lugar possível, além de mim mesma e do mundo, e dessa relação, claro…

    “Qualquer coisa, estamos ai…”

    Valeu, Mercius.

    abraços.

  10. Mercius said

    O prazer é meu

    !o!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: