Anoitan

“Se sempre há um amanhã, sempre há um anoitã.”

Embranquecendo ANOITAN

Posted by Sem em julho 5, 2009

 

 

prisma

 

 

a branca folha me é tão pouca

ai de mim, antes ela não fosse

 

antes a vida fosse mais simples

 

pudesse ser escrita na folha

ou inscrito papel a tomasse

 

pudesse ela ser ontem

eu já a esquecia

 

pudesse amanhã ser a vida

onde teria a paz prometida

 

mas é o dia e antes não fosse

tão clara manhã

 

pudesse eu ser mais simples

ou o outro ou a vida

 

mas, ai, em folha tão pouca

fiquei sem papel

 

 

schubert

Branco ____ Albedo ____ Alvaiade ____ Branco-diamante ____ Branco-puro ____ Branco-acetinado ___ Branco-farinha ___ Branco-queijo ___ Branco de Espanha ___ Branco-gesso ___ Branco-rábano ___ Branco de Krems ___ Branco-giz ___ Branco-sebo ___ Branco de titânio ___ Branco-inverno ___ Branco-sujo ___ Branco-acizentado ___ Branco-isabelino ___ Branco-velho ___ Branco-açúcar ___ Branco-jasmim ___ Branco-lua ___ Branco-açucena ___ Branco-lã ___ Casca de ovo ___ Branco-alabastro ___ Branco-leite ___ Cerusa ___ Branco-albino ___ Branco-manteiga ___ Chamois ___ Branco-alumínio ___ Branco-marfim ___ Champagne ___ Branco-amarelado ___ Branco-mármore ___ Clara de ovo ___ Branco-antigo ___ Branco-mofo ___ Cor anémica ___ Branco-bege ___ Branco-nácar ___ Creme ___ Branco-bétula ___ Branco-neve ___ Desmaiado ___ Branco-cal ___ Branco-opaco ___ Louro oxigenado ___ Branco-cinza ___ Branco-opala ___ Louro-platina ___ Branco-cisne ___ Branco-palhaço ___ Palidez cadavérica ___ Branco-Creta ___ Branco-pão ___ Pele pálida ___ Branco-crú ___ Branco-papiro ___ Sem cor ___ Branco-de-chumbo ___ Branco-pérola ___ Ultra-branco ___ Branco-dental ___ Branco-porcelana  ___ Branco-de-zinco ___ Branco-prata

 

 

Anúncios

5 Respostas to “Embranquecendo ANOITAN”

  1. adi said

    Branco brilhante — branco radiante —- branco nuvem — branco alvo —- branco purissimo — branco lua…. branco luz….

    Muito bonito seu poema, Sem.

    E jah que eh “embranquecendo Anoitan”, que o Anoitan seja a Lua Cheia prateada refletindo a luz do Sol.

    bjs
    adi

  2. Fy said

    Oh Sem,

    Que lindo.

    Vc devia fazer isto mais vezes; assim, de repente, uma briza: tão suave.

    Vc me lembrou isto – então isto é pra vc:

    Vejo e leio poemas em ti
    porque na tua pele os teces,
    com a mesma fala
    e com o mesmo olhar,
    das mágicas cores com que bordas
    a tua alma de organdi.
    Barcelli

    Adi:

    E jah que eh “embranquecendo Anoitan”, que o Anoitan seja a Lua Cheia prateada refletindo a luz do Sol.

    Que seja! Sempre um condutor de sonhos, e de novas canções.

    Uma canção – e um tributo, hoje,muito importante pra mim:

    I’ve just closed my eyes again

    Climbed aboard the dream weaver train

    Driver take away my worries of today

    And leave tomorrow behind

    Dream weaver I believe you can get me through the night

    Dream weaver I believe we can reach the morning light

    Fly me high through the starry skies

    Maybe to an astral plane

    Cross the highways of fantasy

    Help me to forget todays pain

    Though the dawn may be coming soon

    There still may be some time

    Fly me away to the bright side of the moon

    And meet me on the other side.

    Gary Peterson, hantayo.org, An Artist in Arizona, His Works, A Tribute to his beautiful works of the Native American. Someone that could feel their noble simplicity connected with the divine: all the time.

    Bjs

  3. Fy said

    Sobre a FLIP em Paraty:

    http://www.flip.org.br/

    é só clicar em Vídeos [ á esquerda] e assistir às palestras.

    Bjs

  4. Sem said

    Meninas, toda a maravilha está em vcs, podem crer…

    A Adi e sua romântica lua cheia… Adi, sabe que a lua no céu está hoje de fato cheia, mas, envergonhada do Sol, se esconde na sombra da Terra – tem eclipse lunar penumbral hoje… Mas sabe também que essas coisas de eclipses e aspectos astrológicos e alinhamentos astronômicos, são apenas questões de perspectiva, pois de algum lugar do espaço sempre há algum eclipse total acontecendo, uma conjunção perfeita, uma oposição, ou o que for.

    Fy, que coisa linda, fiquei comovida: “alma de organdi”… Quem dera ser para os outros sempre esse sopro de brisa suave e nunca me faltarem palavras transparentes para revelar mais alma.

    Bjão proceis!

    A poesia é minha, mas os “tons” de branco foram capturados por “aí” e servem como leve amostra da natureza dessa cor aparentemente simples, mas no fundo extremamente complexa. Branco pode ser pureza, alegria, paz, infância… é também luto, velhice, e pode ser tb ignorância…

    Bom, como nós estamos aqui no Anoitan, achei que não custava nada “branquear” um pouquinho, pra brincar de alquimia, evocando a “albedo” que sucede ao “nigredo” – a poesia é antiga e de uma época que eu não sabia de nada disso, sabia no entanto das estações do ano e de como elas se sucedem naturalmente. Nesse sentido ela é bem representativa do que estava vivendo naquele momento e, confesso, nada tinha de brisa suave ou de lua cheia, tinha antes de um puro vazio, de me ver livre até de alguns papéis importantes que estava acostuma a representar, misto de perda, assombro, mas tb alegria, leveza.

    Sabem que podemos fazer várias analogias entre as estações do clima e as quatro fases da alquimia: nigredo e inverno, albedo e primavera, citrinitas e outono, rubedo e verão. Ou cada estação e fase do processo contém tudo e se realciona a tudo? Mas a principal analogia creio é que são as estações e as fases do processo alquímico estados naturais que se sucedem espontaneamente. O Tempo é a grande obra no caso, e esse tempo é Real, cíclico, está sempre voltando e voltando. Pois assim como não existe uma única primavera eterna e que dure sempre – um dia de repente será verão, todas as primaveras somadas evocam um só espírito que podemos nomear “estado primaveril”… A real beleza é justo essa, tudo ser cíclico, onde tudo se renova e vitaliza, sendo ao mesmo tempo outro e um só. Axioma do Tempo: na existência nada é eterno, a única constante é a mudança.

    Pois então, nunca mais tinha escrito poesia, né? Mas, para minha grande alegria, ontem eu escrevi uma: poesia mesmo, não frases soltas… Estava pensando nisso de “evoluir” (não bem evoluir no sentido de “progresso” ou de superação, mas de viver a passagem do tempo…) então escrevi algo para dar continuidade de onde tinha parado… Depois de Albedo, Citrinitas, né? vou postar daqui a pouco em um novo post e eu espero que vcs gostem… Olha que é só uma brincadeira, mas bem podemos aproveitá-la para gerar reflexões em complemento aos posts da Adi sobre Cabala, ou ao “juventude eterna” do Filipe. Sem falar, é claro, na Alquimia do Mob. Só falta uma gravura de açafrão. 🙂

  5. adi said

    Oi Sem,

    Deu pra perceber o seu “entusiasmo”, sua alegria, aquela coisa que vem da Alma…

    Bom demais essa inspiracao envolvente.

    bjs
    adi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: