Anoitan

“Se sempre há um amanhã, sempre há um anoitã.”

Archive for julho \23\UTC 2009

Estar desperto

Posted by adi em julho 23, 2009

Um trecho do excelente livro “Vazio Luminoso” de Francesca Fremantle.

“Um ser vivente é uma combinação temporária de vários elementos, sempre mudando, assim como um rio é composto de incontáveis gotas de água, nunca permanecendo estático mesmo pelo menor momento imaginável de tempo. O sentido de continuidade que temos dia após dia, que experimentamos como um estado estático de ser, é na verdade um processo dinâmico, um fluir contínuo. Simplesmente não há necessidade de um ser, funcionamos perfeitamente bem sem ele. Nós somos esse fluir, a dança da vida, sem fixação ou solidez. Não precisamos procurar por alguém atrás disso.
Ao mesmo tempo, existe uma verdade profunda em nossa busca por uma essência. Nossa essência é a potencialidade para a iluminação, “tathagatagarbha” em sânscrito, o embrião do buda, muitas vezes chamado de a natureza de buda. Assim que essa potencialidade começa a se manifestar, é conhecida como “bodhichitta”, o coração ou mente que desperta. De início, como bodhichitta relativo, ela é a aspiração em direção a iluminação para si e para todos os seres; finalmente, como bodhichitta final, é o próprio estado de estar desperto, o coração e a mente finalmente despertos. Continue lendo »

Posted in A Experiência Mística, Filosofia, Não-dualidade, Religião | 37 Comments »

Hino à Beleza

Posted by Sem em julho 20, 2009

Posted in A Experiência Mística, Musica | Etiquetado: , | 13 Comments »

Os memes e o inconsciente

Posted by Filipe Wels em julho 15, 2009

Oscar Wilde tem aquela frase cérebre que diz que viver é algo restrito para poucos; o normal é existir. O debate sobre a legalização das pesquisas sobre células-tronco procurava saber se a vida começa na concepção ou quando o óvulo passa a ter condições para se desenvolver. Mas isso leva em conta a vida apenas no aspecto biólogico. E que podemos fazer sobre um aspecto não com o frio olhar científico, mas mais filosófico, de quando, afinal, começa a vida. Para responder a essa pergunta, precisamos levar em conta dois aspectos: os memes e o inconsciente.

Memes são o equivalente cultural dos genes, segundo o biólogo Richard Dawkins em sua clássica obra O Gene Egoísta. Assim como os genes passam de gereção para geração pelo DNA, os memes passam pelo cérebro ou por outras formas de armazenar informações, com os livros. Sao padroes cognitivos que passam de geração pra geração e filtram nossa percepção da realidade – e procuram condicionar, determinar, o comportamento humano.

Exemplo de meme muito fácil de detectar no Brasil é o força que possui o futebol. Praticamente todas as pessoas têm um time – porque foram condicionadas a isso ou por parentes, ou por amigos. Mas a grande maioria dos nossos pensamentos, crenças, idéias e dogmas são frutos de um condicionamento. Como a nossa ação é condicionada pelo nosso pensamento- e o próprio pensamento é fruto, ele mesmo, de um condicionamento-  a liberdade de escolha e o livre arbítrio que julgamos ter é ilusória em grande parte. Quando ” vivemos” como fruto de um condicionamento, não há vida, de fato, porque não temos consciência nem um próposito definido naquilo que fazemos. Desde cedo, somos condicionados a muitas coisas: estudar, trabalhar, namorar, casar, para , depois, enfim, morrer. Isso é o comum entre a grande maioria da humanidade, mas o que nos diferencia como seres humanos é justamente uma motivação, um propósito único para cada indivíduo, que realmente justique sua presença nesse mundo. Que faça valer a pena o corpo maravilhoso e os bilhões de neurônios que recebemos. Para isso, é realmente necessário ter um próposito e uma consciência de que por que estar aqui; e isto requer um conhecimento interior que jamais vem automaticamente. Ninguém sabe o que quer sem conhecer a si mesmo.

A vida é um milagre em si mesmo, mas poucos param para refletir sobre isso. A maioria pensa que com o nome uma profissão já sabe de tudo. É uma maneira de pensar muito ingênua. Precisamos resgatar uma educação que já se perdeu. Atualmente, há uma cultura massificada, recebemos pacotes de verdades e dogmas prontos desde crianças, bem como as direções e caminhos que devemos tomar. E vivemos, inconcientemente, seguindo justamente essas idéias meméticas, sem saber, de fato, o que estamos buscando ou que porque estamos fazendo isso.

Por isso, tal relação que o senso comum supõe existir entre idade e experiência de vida não existe. Ela é verdadeira em sociedades que valorizam a sabedoria- o que, certamente, não é o caso da nossa, que valoriza o conhecimento meramente intelectual para fins monetários  e não a experiência. Hoje em dia, isso depende muito da pessoa que se trate, e um senhor de 70 anos pode nao ter metade da experiência de um jovem de 20- assim como pode ter muito mais , mas, neste caso, o fato de ter 70 anos será apenas um coadjuvante e não motivo de ter tal experiência. Nenhuma pessoa tem experiência mais do que outra apenas por ter mais idade. Isso se deve a um conjunto de fatores.

“Vida” é algo que nao se ganha; se conquista. Compreender o significado do vida foi algo pretendido pelos maiores sábios do mundo- e justamente pelo esforço em adquirir tal entendimento que os transformou em verdadeiros sábios. Hoje, recebemos uma carga de condicionamentos, vivemos sem saber porque vivemos, quais inclinações nos motivam, quais própositos nos animam e damos como certas muitas coisas que não são verdadeiras, que deixariam de ser certas se lhes colocássemos uma interrogação, um porquê.

O tempo, por si mesmo, não leva a nada, senão a cristalização dessas ilusões. Quando questionamos uma idéia que mantínhamos há um ano, ou meses, é fácil mudar de opinião. Agora, como vamos aceitar que estivemos errados sobre algo que acreditamos com tanta convicção há 20, 30 anos? Como nossas escolhas e decisões são baseadas em nossas crenças, admitir isso seria admitir que vivemos 20 e 30 anos no caminho errado. Isso acaba sendo algo muito duro, portanto é muito mais cômodo , depois de uma certa idade, defender ferrenhamente nossas convicções a ter a atidade mais saudável de colocar um ponto de interrogação naquilo que julgamos como ponto pacífico.A sabedoria só vem quando aprendemos a amá-la, a buscá-la, a cultivá-la, e nossa cultura ocidental não favorece  isso.

Mas, onde está a causa disso? Porque somos tão suscetíveis a tais condicionamentos?

A resposta está no inconsciente – aquilo que acreditamos como verdade consciente ( e é um meme) também está presente no nosso inconsciente. Há um paralelo entre ambos. Freud dizia que nosso inconsciente tem uma ” herança ancestral” dos nossos antepassados, que chamava de ” resíduos arcaicos”. Assim como nós somos resultados de um longo processo de evolução biológica, nossa psique também recebeu essa formação ancestral. E há justamente essa formação do inconsciente de geração para geração, tal como nos memes.

Por isso, e eu insisto com isso, a única forma de manter contato com o inconsciente é auto-conhecimento. Há várias formas disso, como a “imaginação ativa” de Jung, interpretacao dos sonhos, auto-análise ou meditação. Conhecendo-nos, percebemos as ilusões que estão enraizadas nos recônditos da psique. Ilusão compreendida é ilusão desintegrada. Assim, com um longo processo de auto-conhecimento- que é o único caminho para a sabedoria- vamos, aos poucos, começando a viver- pois morremos para a fantasia presente na nossa psique para viver a realidade. Tiramos as travas nossos olhos, presentes na nossa psique, e começamos , gradualmente, a enxergar de fato a realidade.  E assim que se adquire experiência real, que é certamente o mais importante na vida de uma pessoa. Que não vem com a idade, com o tempo, com mera reflexão filosófica ou conhecimento intelectual.

Posted in A Experiência Mística, Arquétipos, Gnosticismo, Textos | 29 Comments »

A Travessia do Abismo de Daath

Posted by adi em julho 13, 2009

Em Malkuth comeca o trabalho do despertar da centelha e elevação da mesma atraves dos Sephiroth.

Malkuth pode ser comparada ao mito de Persefone (ou Proserpina entre os romanos), onde a historia do mito narra a violação de Persefone por Hades obrigando-a a seu exílio sob a Terra, assim como também o mito dos gnósticos sobre a queda de Sophia.

Segundo Israel Regardie existem dois métodos básicos de consecução espiritual baseados no uso direto da Arvore da Vida: Um eh a meditação e o outro eh o Ritual. O objetivo de seguir esses dois processos, eh atingir o Coração da Arvore, o centro cristico nele mesmo – Tipheret, onde terah a visao e conversação do Sagrado Anjo Guardião. Os dois métodos acima referidos na verdade sao um. Assim trabalhando ele transcende o que ele pensa ser, ascendendo pelos sephiroth.

Esta subida realiza-se pela coluna do meio ou pilar do meio, isto eh, a coluna central da arvore formada por Malkuth, Yesod, Tiphareth, Daath, Kether.

No sistema oriental  isto equivale ao canal Shushuma, por onde eleva-se Kundalini. O Sushuma eh o mais importante dos Nadis e consiste no eixo ou canal central que se situa ao longo da coluna, por onde circula energia neutra. Ele eh conhecido como o sustentador do universo e o “caminho da salvacao”.kundalini

Na tradicao Greco-Romana, o caduceu de Thot eh o simbolo do segredo, tanto quanto a Serpente de Bronze erguida por Moises no Egito.

Segundo Israel Regardie, esse metodo de elevacao da Kundalini, ou de conscientizacao da Essencia, se dah atraves da conciliacao  das energies opostas na Arvore, essa conciliacao se efetua no pilar central, ou pilar do meio/equilibrio, e eh nesse equilibrio onde nasce o Filho em Tiphereth, ou seja, o dialogo com o Sagrado Anjo, o Self. Essa eh a meta e o objetivo de todo praticante de magia ou de todos aqueles que se dedicam ao auto-conhecimento, pois eh o proprio Anjo quem prepara o adepto para a proxima etapa, a travessia do abismo de Daath. Continue lendo »

Posted in A Experiência Mística, alquimia, Arquétipos, Cabala, Cristianismo, Filosofia, Gnosticismo, Hermetismo, Mito, Não-dualidade, Psicologia, Religião | 49 Comments »

Citrinitas

Posted by Sem em julho 7, 2009

saffran_crocus_sativus_moistamarelecer
adoecer
amornar

tornar velho o ocaso
gasto o usado
brando o folgado
roto o furado

reunir palha por todos os lados
desfazer o bordado
fazer pouco caso

odiar a palha
amar o vento
a obra do acaso

adoecer
fazer feriado

ajoelhar para dormir
fechar para não abrir
deitar para plantar
sair para não voltar
chorar para sorrir

amarelecer
ouro de açafrão

ir
sonhar
libertar

morrer branco
acordar vermelho

Posted in alquimia, Poemas | 14 Comments »

Embranquecendo ANOITAN

Posted by Sem em julho 5, 2009

 

 

prisma

 

 

a branca folha me é tão pouca

ai de mim, antes ela não fosse

 

antes a vida fosse mais simples

 

pudesse ser escrita na folha

ou inscrito papel a tomasse

 

pudesse ela ser ontem

eu já a esquecia

 

pudesse amanhã ser a vida

onde teria a paz prometida

 

mas é o dia e antes não fosse

tão clara manhã

 

pudesse eu ser mais simples

ou o outro ou a vida

 

mas, ai, em folha tão pouca

fiquei sem papel

 

Continue lendo »

Posted in Poemas | Etiquetado: , , | 5 Comments »

ÁRVORE DA VIDA – um resumo pra entender Daath

Posted by adi em julho 2, 2009

A Cabala eh um dos sistemas de estudo e pratica de magia-mística que mais nos oferece recursos de desenvolvimento espiritual, tanto que a maioria das escolas  ou Ordens Iniciaticas desenvolveram sua pratica baseadas na Cabala.

No sistema ocidental de iniciação, a Cabala tem sido usada com sucesso por muitos séculos, ela contem o mais seguro e conveniente corpo de correspondências jamais concentrado em um só  diagrama: A Arvore da Vida.  A Arvore da Vida eh o diagrama das energias de formação da própria vida.

Os Quatro Mundos

As Sephiroth se manifestam em quatro diferentes planos, interconectando as dez Sephiroth em camadas cada vez mais densas.

Atziluth o Mundo Arquetípico – Kether

Briah o Mundo Criativo – Chochmah e Binah

Yetzirah o Mundo Formativo – Chesed (Hesed) à YesodArvore

Assiah o Mundo Material – Malkuth

Assim temos: Atziluth: Kether a coroa ocupando sozinha um plano inteiro, eh o mundo arquetipico, o domínio do Logos.

Briah: A segunda e a terceira Sephiroth, o Pai e a Mae supremos constituem o mundo criativo, recebendo e executando a divina imaginação.

Yetzirah: O terceiro plano ou mundo formativo, o plano astral eh compreendido pelas seis Sephroth seguintes, em cujo  mundo tudo eh preparado para a manifestação visível.

Assiah: Malkuth, o reino, eh o mundo físico.

Os Pilares

A Árvore também pode ser dividida em três pilares:

  • Pilar da Severidade – esquerdo (Binah, Geburah e Hod)
  • Pilar do Equilíbrio – centro (Kether, Tiphereth, Yesod e Malkuth)
  • Pilar da Misericórdia – direito (Chokmah, Chesed e Netzach) Continue lendo »

Posted in Arquétipos, Cabala, Filosofia, Gnosticismo, Mito, Religião, Uncategorized | 19 Comments »