Anoitan

“Se sempre há um amanhã, sempre há um anoitã.”

“Não entre quem não saiba geometria”

Posted by Sem em maio 26, 2009

No princípio era o vazio

0

Do nada veio o um

1

O um meditava no vazio, que era seu espelho, e fez-se o dois

2

O um olhou pro dois e surgiram-lhe olhos

3

O dois olhou pro um e nasceu a fala e a escuta

4

Do encontro deste encontro aconteceram muitas coisas

Imaginaram-se deuses

7

Nasceu o três

5

O complexo quatro

6

E toda a profundidade e cor animou o vazio

escher1

escher2

maxbill

Mas o mais extraordinário foi que de uma pequena torção nasceu o infinito

moebius1

moebius2

E a história começou…

escher

http://www.mathacademy.com/pr/minitext/escher/

***

Anúncios

5 Respostas to ““Não entre quem não saiba geometria””

  1. Kingmob said

    Hahahahahah!!!!!!!!!
    Genial, genial!!!!!!!
    =D

  2. Alessandro said

    uma ajuda porfavor
    quem disse essa fraze
    “Não entre quem não saiba geometria”

  3. Sem said

    Alessandro,

    Conta-se era o lema inscrito nos pórticos da Academia de Platão. Escola fundada em Atenas por este filósofo cerca de 400 a.C. – ficava em meio a jardins e era conhecida por “jardins de Academus”… Academus foi um herói grego de quem desconheço a história, mas seu nome acabou inspirando o que hoje damos e entendemos por “academia”…

    Alguns esclarecimentos a quem não está familiarizado com filosofia grega antiga: Platão é considerado um dos maiores clássicos da filosofia de todos os tempos, filósofo idealista por excelência, acreditava no mundo das ideias (o mundo das essências por ele considerado o verdadeiro mundo) e, claro, na imortalidade da alma. Platão sofreu duas grandes influências em sua vida, no que podemos perceber pelos fundamentos e na construção mesmo de toda a sua filosofia. Primeiro de Sócrates, seu inesquecível mestre, lições as quais foi sempre fiel, e podemos dizer imortalizou, fazendo de Sócrates o principal interlocutor de seus mais importantes diálogos. Depois de Sócrates, sofreu idêntica influência do pensamento e mística da escola pitagórica. Pitágoras, aquele do teorema, que acreditava que os números eram a base de tudo. E como minha histórinha sofre dessa essência numérica, digamos, e de um ideal platônico, foi decorrência natural buscar o lema da academia como título… E já que estamos falando das origens da academia, vamos falar tb do Liceu… Aristóteles, outro filósofo da época, discípulo de Platão e q frequentou durante algum tempo sua academia, mas, por formular ou por acreditar num mundo mais empírico, de experiências concretas, fundou por sua vez a escola que apelidou de Liceu.. Assim herdamos dos gregos antigos essas duas escolas: a “academia” e o “liceu”… E estes três: Sócrates, Platão e Aristóteles, formam o triunvirato da filosofia clássica ocidental. Mas, há controvérsias… quer dizer, não podemos esquecer dos interessantíssimos pré-socráticos.

    Como o assunto aqui é humor, veja esse vídeo do Piteco a respeito de uma das alegorias mais famosas de Platão e que se encontra no seu “A República”. O Mito da Caverna:

  4. adi said

    “Nao entre quem nao saiba geometria”

    Sem,
    Otima a sua aula sobre a filosofia grega! agora que me dei conta, tambem nao tinha entendido. Eh verdade! era imprescindivel ao canditato a academia ter bom conhecimento de matematica, geometria, astrologia…

    Adorei a estorinha do Piteco.

    bjs

  5. Sem said

    Disse o André Gide uma vez, ele que foi um grande frasista, que todas as coisas já foram ditas, mas, como ninguém escuta, é preciso sempre dizer de novo….

    Dando crédito a Jacques Lacan:

    Não conhecia esse grupo brasilero de psicanálise “Novamente”, comandado pelo especialista em Lacan, Machado Dias Magnum. Para falar a verdade, nunca tinha ouvido falar desse psicanalista até ontem… Talvez porque dentre a psicanálise nunca me aferrei a nenhuma ortodoxia freudiana e considero a linha lacaniana a mais ortodoxa e materialista possível, diga-se, como seria o gosto de Freud… por isso os lacanianos não toleram nenhuma transcendência, o que varre qualquer possibilidade de experiência espiritualista para debaixo do tapete, quer dizer, qualquer experiência mística é interpretada como exclusivo fenômeno psíquico – claro que arquétipos, do modo conceituado por Jung, nem pensar… Seja como for, o que este psicanalista diz nesse vídeo, e na sequência de 8 vídeos que seguem no YouTube, é exatamente o que eu penso, ele demonstra de modo detalhado, exaustivo até, como a “fita de moebius” serve como metáfora para o psiquismo humano. Segundo o que pude depreender, a ideia seria derivada do próprio pensamento de Lacan… no que fiquei gratamente surpresa, e com vontade de pesquisar um pouco mais o pensamento de Lacan…

    Deixo a referência do modelo do Revirão (a torção que gera o “infinito”):

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: