Anoitan

“Se sempre há um amanhã, sempre há um anoitã.”

Espada e Pedra

Posted by Kingmob em março 19, 2009

olhei o seio da pedra
e a espada fincada
em seu meio, no meio
do lago.

Seria eu rei
para do seio da pedra
o gume libertar?

E a dama do alto
semblante rosado
irei por ventura
no além desposar?excalibur

E fazer minha casa
de sólida palha
no leito de fadas
no país das lendas
e fábulas?

E alimentar a
branda lareira
fogo constante
até o final
da obra imperante?

E amigos do peito
no coro celeste
e na errância infernal
alegrar?

E uma terra
de sonho real
raiz imortal
governar?

E o gume reluz
em leito rochoso
esperando, esperando
a vida vindoura
firme puxada
e a morte do nada.

Anúncios

6 Respostas to “Espada e Pedra”

  1. adriret said

    Que lindo poema Mob,

    Inspirado voce hein!!

    Além da lenda do rei Arthur, a saga do herói em busca de sua amada para as nupcias sagradas.

    bjs
    Adi

  2. Sem said

    Sem ficou sem palavras de tão bonito. 🙂

  3. Fy said

    Que muito lindo, nobre Cavaleiro!

    Só acho q vc poderia ter deixado tudo lá na frente: sem “ler mais”.

    Vou te contar uma coisa:

    Qdo o Lucio decidiu terminar o Blog [ eu estava viajando, a trabalho, e até hoje não sei exatamente o q aconteceu, acreditem!!!!!] vc escreveu um poema, lembra?

    Como eu espalhei o FA por milhões de amigos, daqui e de fora; por muito tempo; qdo aconteceu tudo aquilo, saiba q recebí muiiiiiiiitos emails com o teu poema.

    Dificilmente algo foi dito de uma forma tão verdadeira e intensa; e com tanta beleza.

    Bjs

  4. Kingmob said

    Valeu moças, que bom que gostaram!

    Essas lendas medievais são muito interessantes. Em muitos sentindos vem complementar o mito cristão teológico “oficial”. Sem contar que lendas, são lendas….

    Que bacana, Fy, fiquei contente de saber. =)

    O poema é este aqui, foi feito no calor do momento:

    Despedida a Malprg.

    Nas tuas palavras, vida dos teus ossos, reencontrei a fé
    [ perdida imemorial,
    e o encanto solene de tudo o que há além,
    mesmo que poeira, tão só vento errante fosses,
    não menos querido e premente, na carne e peito te
    [encontravas.
    Agora, como capitão soerguido na tua glória tu te vais
    e eu peço permissão aos deuses para abençoar-te,
    vai-te obreiro de Luz, e não olhes para trás!!
    abençoo-te como cria, filho e pai, e que tua existência abstrata, fugaz,
    nem por isso menos real,
    evole-se para alturas de sapiências supernais, das quais
    [singelamente
    me mantenho apartado, ciente do que não me cabe
    [vislumbrar e saber
    e o meu quinhão de orgulho e amor
    é esta lágrima de gratidão e saudade.

    Mob.

  5. Fy said

    Teu coração é nobre, Mob.

    Bjs

  6. Kingmob said

    >Teu coração é nobre, Mob.

    =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: