Anoitan

“Se sempre há um amanhã, sempre há um anoitã.”

Neruda

Posted by Kingmob em março 12, 2009

Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Escrever, por exemplo: “A noite está estrelada,
e tiritam, azuis, os astros lá ao longe”.
O vento da noite gira no céu e canta.

Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Eu amei-a e por vezes ela também me amou.
Em noites como esta tive-a em meus braços.
Beijei-a tantas vezes sob o céu infinito.

Ela amou-me, por vezes eu também a amava.
Como não ter amado os seus grandes olhos fixos.
Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Pensar que não a tenho. Sentir que já a perdi.

Ouvir a noite imensa, mais imensa sem ela.
E o verso cai na alma como no pasto o orvalho.
Importa lá que o meu amor não pudesse guardá-la.
A noite está estrelada e ela não está comigo.

Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe.
A minha alma não se contenta com havê-la perdido.
Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a.
O meu coração procura-a, ela não está comigo.

A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores.
Nós dois, os de então, já não somos os mesmos.
Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei.
Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido.

De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos.
A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos.
Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda.
É tão curto o amor, tão longo o esquecimento.

Porque em noites como esta tive-a em meus braços,
a minha alma não se contenta por havê-la perdido.
Embora seja a última dor que ela me causa,
e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo.

Anúncios

3 Respostas to “Neruda”

  1. Fy said

    Mob,

    Como é lindo!

    Este é um dos meus preferidos:

    Inclinado en las tardes tiro mis tristes redes
    a tus ojos oceánicos.

    Allí se estira y arde en la más alta hoguera
    mi soledad que da vueltas los brazos como un náufrago.

    Hago rojas señales sobre tus ojos ausentes
    que olean como el mar a la orilla de un faro.

    Solo guardas tinieblas, hembra distante y mía,
    de tu mirada emerge a veces la costa del espanto.

    Inclinado en las tardes echo mis tristes redes
    a ese mar que sacude tus ojos oceánicos.

    Los pájaros nocturnos picotean las primeras estrellas
    que centellean como mi alma cuando te amo.

    Galopa la noche en su yegua sombría
    desparramando espigas azules sobre el campo

    Bjs

  2. adi said

    Muito lindo Mob.

    Que declaracao a “anima”, aquela que se busca no profundo da alma humana…

    Interessante eh que a propria alma busca seu par “nela mesma”, porque alma eh anima….

    … mas eh a alma humana, masculina buscando seu Eros ou psique.

    Eu, alma humana feminina, busco a razao ou Logos, o animus.

    De qualquer forma, buscamos aquilo que nos completa, nosso contrario, que nos torna inteiros…

    bjs

  3. Cara, cheguei tarde.
    Acabei de descobrir o Franco-atirador e me encantei com aquele post do MBTI. Pena não ter chegado a tempo de acompanhar.
    O ebook que você tava pensando vai sair mesmo? Ou lê-lo-ei todo naquele link mesmo?
    Não precisei de muito mais pra saber que você carrega uma imensa carga de conhecimento, e conhecimento importante.
    Por outro lado, “quando o aluno está pronto, o mestre aparece”. Talvez nada mais cedo ou mais tarde fosse o melhor.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: